sexta-feira, dezembro 21, 2007

Para todos...

quarta-feira, dezembro 19, 2007

Tempo parvo gera boas combinações

Fico deprimida com este tempo. Bem sei que é preciso, mas e que tal se fosse só aos fins-de-semana? Sinto-me doente e a vontade para me mexer é menos do que nenhuma. Ainda faltará muito para o calor? (junto à minha secretária vive-se um tempo tropical de 32º, sem isso nem pensar consigo...).

Para animar as hostes, chegaram as melhores coisinhas provenientes do trabalho da minha mãe. O meu agradecimento sentido às bondosas pessoas que oferecem:

segunda-feira, dezembro 17, 2007

De Lisboa a Pessegueiro

Um fim-de-semana. A companhia do namorado. Um grupo de amigos. Uma lareira. Guloseimas. Um livro. Descontracção. O sossego da aldeia. Eram tantos os ingredientes que faziam deste fim-de-semana mágico. Na nossa loucura, tudo correu sobre rodas. A diversão esteve ao rubro. Soubemos aproveitar cada momento juntos para rir, para partilhar histórias, para jogar. Com o quentinho da lareira, deu para nos reconfortarmos e para adormecermos, esquecendo a semana de trabalho que se avizinhava ou os problemas. Ali, a 300 e tal km de Lisboa, o tempo corria por nossa conta. Sem pressões nem pressas. Faltou a neve...

quinta-feira, dezembro 13, 2007

Entrar EM GRANDE em 2008!

A poucos dias de entrarmos em 2008, a bomba já está lançada: os transportes públicos vão aumentar. Os jornais têm avançado com um aumento de 3%, mas creio que nada está definido. Seja qual for o aumento, a verdade é que é, por si só, mais uma vergonha governamental. Ninguém pensa num aumento assim para os nossos salários e entretanto cá vamos fazendo cimeiras e albergando toda a corja da sociedade mundial. Só posso enfrentar mais estas agruras no meu ordenado, rindo... Será que os governantes, nos intervalos da sua estupidez, não podiam pensar de forma sensata?


quarta-feira, dezembro 12, 2007

Pérola do Dia (II)

Informando sobre a greve de camionistas em Itália, uma jornalista da SIC Notícias diz:

- Alguns produtos, como a carne e o leite, já começam a escassar nos supermercados.

terça-feira, dezembro 11, 2007

Está tudo doido!

O Futebol passa pelos seus piores dias. O futebol dos tempos antigos, onde o respeito pelo adversário, pelo público, pelo árbitro e pelo próprio clube imperava, perdeu-se. A entrada dos milhões (e dos multi-milionários!!) fizeram do futebol uma indústria e é preciso torná-la rentável, seja de que maneira for.
Em vários países, surgiram notícias de casos de corrupção, pondo em causa a legalidade das vitórias por parte dos clubes. Alguns jogadores viram-se envolvidos em escândalos devido a apostas ilegais e à falsificação de documentos. Adeptos e jogadores foram acusados de atitudes racistas para com jogadores africanos, sobretudo. Houve punições, mas parece que o aviso não melhorou o meio.
O futebol continua envolto numa nuvem de suspeição e temor. Ainda na semana passada, muitos punham em causa a goleada do Liverpool ao Besiktas. Falava-se de complacência do Besiktas, mas a UEFA rapidamente afastou essa hipótese. Sim, não é normal que haja, numa noite europeia, uma goleada de 8-0, mas por que não podia o Liverpool estar numa noite inspirada?? Em contraste com o festival de golos, as mortes de adeptos também aumentaram. O calcio - campeonato italiano - está a ferro e fogo e vários clubes foram já punidos com jogos à porta fechada.
Sou uma apaixonada pelo futebol, mas não consigo compreender estes fanatismos. Se não se põe fim a estes excessos, o futebol acabará por perder a sua beleza, o seu interesse, os seus fãs e deixará de ser rentável. Os altos responsáveis que pensem nisso... O futebol é um espectáculo das e para as massas. Só queremos um pouco de distracção, de lealdade, de magia... Custa muito compreender isso?


PS - Depois de se questionar a vitória do Liverpool sobre o Besiktas, eis que mais uma mente iluminada quer ver o Inter de Milão perder 3 pontos. (aqui)

segunda-feira, dezembro 10, 2007

Há coisas fantásticas, não há?

Há dias que são especiais e ontem foi um deles. Não, não me aconteceu nada de extraordinário. Simplesmente, depois de várias tentativas falhadas, lá me consegui reunir com duas das minhas grandes amigas: Sónia e Vanessa.
Já não nos víamos há muito tempo, mas foi bom comprovar que a amizade se mantém saudável. À semelhança do que fazíamos todos os Natais quando andávamos na faculdade, fomos até aos Pastéis de Belém. Numa tarde meio tristonha, típica de Outono, os cheiros a castanhas assadas e a pastéis misturavam-se no ar. Mas aquele era um dia especial... O reencontro de três amigas que compartilharam problemas, brincadeiras e aulas. A tarde passou sem que déssemos conta, tal era a boa disposição. Naquela mesa, nós as três e os respectivos acompanhantes, relembrámos momentos, rimo-nos sem motivo, soubemos as novidades... Foi um regresso ao passado, sem nostalgia.
A caminho de casa, só pensava em como é bom saber que há amizades que ficam para sempre... ainda que o tempo e a disponibilidade de cada uma de nós seja cada vez menos. Obrigada, amigas!

sexta-feira, dezembro 07, 2007

Não há como ficar triste

quarta-feira, dezembro 05, 2007

Rir sem sentido

Vinha ainda hoje a pensar, no autocarro, em como o riso pode ser contagioso. É tipo o bocejar. Se vemos alguém a rir que não consegue parar, ficamos também nós animados e desatamos a rir. Parecemos doidos, mas, pelo menos, naquele curto espaço de tempo, esquecemos os problemas que nos rodeiam. Nem sabemos por que nos rimos, mas a vontade de o fazermos é mais forte do que nós e soltamos umas gargalhadas. Há coisas estranhas neste mundo...
Ontem, numa das paragens do meu trajecto para a estação de Benfica, entraram duas senhoras, na casa dos quarentas, muito bem dispostas. Entraram já a rir e não conseguiam parar. Dei por mim a olhar para elas e a rir. Sim, porque, quanto mais elas tentavam conter as gargalhadas, mais vontade tinham de se rir. De que é que se riam? Não sei, mas puseram-me bem disposta..., apesar de outros ocupantes do autocarro terem pensado que eu não batia bem. Mas, perante aquele estado de espírito, quem é que podia ficar indiferente?
E a vocês, já vos aconteceu alguma situação destas?

Um jogo para recordar. A caminho da UEFA!

terça-feira, dezembro 04, 2007

Por um Mundo melhor

No passado sábado, dia 1 de Dezembro, cumpriu-se mais um dia Mundial contra a SIDA. Para que não fechemos os olhos e nos esqueçamos de um problema tão grande e escondido como este, algumas figuras juntaram-se num concerto. Os Queen, cujo líder faleceu vítima de SIDA, lançaram um novo single. Impressionem-se com "Say It's Not True":



Ontem, eu e a minha irmã acabámos de montar a nossa árvore de Natal. Começámos no domingo, mas só ontem é que ficou completa. Ficou linda, na minha modesta opinião! Em tons azuis e cinza, a árvore enche a sala e iluminada está muito gira. É esta parte do Natal de que eu gosto. Preparar a árvore, enfeitar a casa sem grandes exageros, sentir o espírito natalício a cada coisa que façamos. Sinto-me feliz... nem sei porquê. É o Natal!

Feliz Natal!

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Reinventar a língua.

Nas últimas semanas, os jornais tem falado com maior insistência sobre um tema do meu desagrado: o acordo ortográfico. Gostaria de expressar aqui a minha revolta por algumas das mudanças que a nossa Língua vai sofrer. Acho um disparate adoptarmos mais expressões brasileiras do que os brasileiros adoptam portuguesas. E, sem nos apercebermos, a nossa Língua vai desaparecendo e, no Mundo, o brasileiro - que ainda nem língua é - ganha cada vez mais preponderância.
O acordo é bom para quem escreve mal. De facto, poupa trabalho. Algumas palavras tornam-se homónimas (pára[será sem acento] - verbo parar; e para - preposição), noutras desaparecem acentos (leem em vez de lêem), suprimem-se letras repetidas (acção será ação) e alguns H desaparecem, como, por exemplo, no caso de "úmido".
Acho que, depois de se ter dado este passo (para o descalabro), o próximo será a ado(p)ção de expressões crioulas. Acho que a sociedade fica a ganhar, sem dúvida, tendo em conta que o número de emigrantes brasileiros e africanos quase supera o número de portugueses. Fico deprimida só de pensar... Ninguém se dá conta de como a Língua Portuguesa é bonita?


PS - Para quem está contra este acordo, eis uma petição online onde se pode manifestar: http://www.petitiononline.com/naoacord/petition.html

sexta-feira, novembro 30, 2007

Pérola do Dia

Em alto e bom som, numa conversa de amigas ao telemóvel, a que vai no comboio diz:


- Ao pé do Tamisa? Onde é que é isso?

É preciso dizer mais alguma coisa? A inteligência desta senhora, se a tiver, deve ter ficado em casa...

quarta-feira, novembro 28, 2007

Patinho feio nunca mais

Há uns dias, enquanto fazia zapping, parei num programa "extraordinário" que dava na SICMulher: The Swan. Trata-se de um reality show americano que tem como objectivo criar mulheres belas. Imaginam, por isso, o défice de auto-estima das mulheres que concorrem... Ali, elas procuram tornar-se mais atraentes para enfrentar as agruras do dia-a-dia e sobretudo conseguir equilibrar a sua beleza interior com a exterior.

Pensava que já se tinha inventado tudo, mas afinal enganei-me. Em cada programa, duas mulheres são seleccionadas para integrar sessões de tratamento ao longo de três meses. Para serem belas, sujeitam-se a inúmeras cirurgias estéticas, dietas, longas horas de exercicio físico, terapia (bem precisam!) e sessões no dentista. Tudo em nome de se tornarem verdadeiras bonequinhas de prazer...para os homens. Sim, porque, muitas das razões apresentadas para estarem a concorrer, era porque tinham medo que os homens (!!) não as achassem atraentes e terminassem sozinhas.

A única regra que estas concorrentes precisam de seguir é estarem três meses sem um espelho. Só no final da "remodelação" é que se podem ver e gostar ou não... O que está feito, está feito.

Sinceramente, não percebo como é que há pessoas que se sujeitam a isto. Não faz mesmo o meu género, mas os americanos sempre me pareceram limitados. Elas saem de lá mais bonitas, de facto, mas até que ponto são elas mesmo? Depois de algumas transformações profundas - como eu já vi - é natural que se sintam inadaptadas àquilo que são no seu intimo. E depois há aquelas que se tornam piores pessoas, tal é o tamanho do seu ego. No último programa, a concorrente vencedora afirmou "ainda estou mais bela do que me sinto por dentro...".

terça-feira, novembro 27, 2007

C(oisas) P(arvas)

Acho que a CP tem tirado as terças-feiras para me irritar. Só encontro esta explicação para perceber o que se tem passado nas últimas duas semanas. Pago um passe combinado cp+carris de 45€, mas sou uma utente descontente. Tenho de ser porque, para além de ser mal atendida quando compro o passe, o serviço diário tem-se deteriorado a olhos vistos.

Não sei se sabem, mas, em alguns comboios, existe uma voz que vai anunciando as estações. Diga-se que é uma preciosa ajuda para os invisuais, para quem vai a dormir ou concentrado noutras leituras. Hoje, porém, a voz estava um pouco bêbeda. Estávamos a chegar a Barcarena dizia que a próxima paragem era Cacém, em Monte Abraão estávamos em Barcarena, na Amadora era Queluz Belas... Boa, mike! O mais parvo é que havia pessoas, à porta, para sair na Amadora, viam que estávamos a ir no sentido de Lisboa e, quando a voz falou, ainda pensaram que era Queluz.

Este nem era um problema de maior, enfim, divertia-me com a estupidez da voz. As coisas começaram a tornar-se irritantes quando o maquinista decidiu andar aos solavancos ou travar a fundo na chegada às estações. A uma paragem de Benfica (Damaia, para a voz), ficámos encalhados. O maquinista gritava pelo revisor, sabe-se lá porquê, e o comboio abria e fechava as portas. Andar que é bom, 'tá quieto! Devemos ter ficado ali parados uns 10mints e, como é lógico, acabei por perder o autocarro para o trabalho. Talvez este mês peça um desconto à CP pelo transtorno. Acham que consigo?

segunda-feira, novembro 26, 2007

Compras


PS - Cliquem para ampliar :)

sexta-feira, novembro 23, 2007

O Melhor...



... a comer pudins, o melhor imitador, o melhor defensor do Benfica, o melhor humorista da actualidade. The Special One!

quinta-feira, novembro 22, 2007

Na senda do Euro 2008

Portugal qualificou-se para o Euro 2008. Finalmente! Como é costume, estivemos até ao último jogo para saber o desfecho deste apuramento. No percurso, vivemos um pouco de tudo: empates surpreendentes com equipas teoricamente mais fracas, novas chamadas à selecção, cenas de pugilato, assobios à equipa e o mau génio de Felipão (aqui)... Para a história, fica a presença da equipa nacional num Europeu pela quarta vez consecutiva. Polónia e Portugal serão os representantes do Grupo A na Aústria e Suíça, afastados que foram Sérvia, Finlândia, Bélgica, Arménia, Cazaquistão e Azerbaijão. Para além de mais uma cena do seleccionador nacional, retenho as palavras de Gilberto Madaíl, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, no final do jogo: "Não era um grupo fácil..."

quarta-feira, novembro 21, 2007

O Homem do Momento

Desde o episódio 'Por que no te callas?', este homem anda na boca do Mundo. Ontem, visitou Portugal e jantou com José Sócrates. O que confere tanta notoriedade a Hugo Chávez? E a que se deve tanta arrogância? Para formarem uma opinião, sugiro que leiam a biografia do presidente venezuelano na edição da revista Tabu do semanário Sol (aqui, a partir da página 50).

terça-feira, novembro 20, 2007

Interior da lei

Ontem, a SIC transmitiu uma reportagem interessante sobre o trabalho de um tribunal de 1ª Instância. Sempre ouvimos falar de tribunais, mas nunca foi possível entender como é que é eles (não) funcionam, quais são as suas rotinas, quem lá trabalha... A reportagem começava com um arguído, detido por estar na posse de uma borboleta (arma branca), que saiu em liberdade porque a lâmina desta tinha 9cm e não 10cm, como é punível por lei. Claro que desatei a rir... Afinal, o tamanho conta e muito! O arguído, embora novo, não era nenhum novato nestas andanças e estava todo contente. Veremos quantos dias aguenta cá fora sem voltar a causar problemas.
Nos dias em que a SIC acompanhou os trabalhos deste tribunal, foram a julgamento, 23 casos, 11 dos quais por excesso de álcool no sangue. É impressionante como as pessoas continuam a não ter consciência do perigo que constituem com um carro nas mãos. O cúmulo do ridículo é o que se segue... Num dos casos em questão, uma senhora, sentindo-se alcoolizada, passou o carro para uma amiga que, curiosamente, estava na mesma situação. Numa operação STOP, a condutora foi detida e levada até à Esquadra do Calvário (Lisboa). De lá, ligou para um amigo. Tudo normal até aqui... A verdade é que este amigo estava também ele alcoolizado e acabou presente a um juiz também. Viva a solidariedade entre amigos!, não é?
Ao longo de cerca de 10 minutos, a jornalista da SIC quis mostrar-nos os passos necessários até um caso chegar a tribunal. São notórias as dificuldades que alguns destes serviços públicos enfrentam, nomeadamente a escassez de pessoal e a gravação dos julgamentos (o gravador do tribunal apanha ondas de estações de rádio pelo meio [meu Deus!!]). De louvar o trabalho do juiz-protagonista desta reportagem que, em várias imagens, conseguiu transparecer o enfado, a frustração e a paciência que sente (e precisa) perante muitos dos casos que se lhe apresentam.

segunda-feira, novembro 19, 2007

Enfim, chegou.

A notícia que vos quero dar não é agradável... Mas tem de ser. Chegou o Outono e tudo o que isso implica. A chuva desagradável que nos acompanha até ao trabalho, o trânsito que enche as estradas e nos atrasa sempre uns minutos, o frio que faz com que não sintamos as mãos, a mudança de roupa nas gavetas... Que dia tão triste o de hoje. Só está mesmo bom para ficar em casa. Odeio este tempo e fico imediatamente deprimida quando acordo e vejo estes tons cinzentos. O que eu queria mesmo era ter ficado na cama, no quentinho, a ler um livro. Dava tudo para evitar ter de vir para o trabalho e aturar clientes maçadores, trabalho monótono e momentos sem nada para fazer. Sim, agora sim, já cheira a Outono... E o relógio que não anda...

quarta-feira, novembro 14, 2007

O Melhor penalty de sempre!

... fez ontem cinco anos! Alguém sabe a que me refiro?

terça-feira, novembro 13, 2007

As prioridades nacionais não o são.

A cena política nacional anda em polvorosa... A semana passada era semana de debate do Orçamento de Estado para 2008, mas ninguém deu por isso. As atenções, muito graças à Comunicação Social, focaram-se no duelo entre José Sócrates e Pedro Santana Lopes. Alguém me explica o que é que isso interessa para a minha carteira? Todos sabem que não interessa nada, mas ninguém põe um ponto final a esta parvoíce. Estamos diante de uma luta de galos desejosos por um poleiro... em prol dos cidadãos? Claro que não... Os cidadãos são o que menos importa, curiosamente, apesar de serem a base da democracia.

Outra das preocupações políticas actuais é a situação de Ramalho Eanes, ex-Presidente da República. E o que se passa com o senhor? O 'pobrezinho' senhor não pode receber o subsídio de ex-Presidente porque não é acumulável com a reforma de militar que recebe. Ramalho Eanes devia estar a receber uma subvenção no valor de €3.892,22.

Hoje em dia, vários cidadãos beneficiam de modestos (estou a ser generosa) salários, outros vivem do subsídio de desemprego e muitos deles ainda tentam anular as suas dívidas. Contudo, a preocupação do Provedor de Justiça recai sobre Ramalho Eanes. Está certo, está certo. Afinal, o homem está a ser altamente prejudicado, tendo em conta a situação de Mário Soares e Jorge Sampaio... Deviam era tomar medidas mais activas para ajudar quem de facto precisa. Ramalho Eanes não é a prioridade. Creio até que o senhor vive muito bem, tem amigos influentes e marca presença em várias festas de jet-set (onde pode comer, se não tiver outro sítio). E que tal pensarem nos cidadãos??!!

segunda-feira, novembro 12, 2007

LOL



sexta-feira, novembro 09, 2007

Ho Ho Ho... Ohhhhhh

Já se sabe que a aproximação ao Natal é sinónimo de loucura desenfreada. As Câmaras Municipais tiram das arrecadações os enfeites coloridos, as lojas enchem-se de produtos natalícios apelativos, as pessoas desempacotam as suas árvores... À medida que os anos passam, a época de natal antecipa-se mais umas semanas. E qualquer dia, sem darmos conta, saímos da época balnear para o Natal. Viva o consumismo, dirão alguns. Viva a loucura, dirão outros.
Ontem, enquanto ia tranquilamente no autocarro, levantei a cabeça pela janela e fiquei boquiaberta. Ao meu lado, estava uma enorme vivenda já devidamente preparada para receber o Pai Natal. Era enfeites luminosos, era pinheiro pomposo... Naquela casa já há festa. Não será um bocadinho cedo de mais?? Estamos a 9 de Novembro, a mais de um mês, meus amigos. Das duas uma: ou o Natal na terra dos donos da casa é mais cedo (como se fosse possível), ou eles querem poupar trabalho. Haja paciência... porque a loucura vai começar!!!

quinta-feira, novembro 08, 2007

O pecado da gula

Nada como um belo chocolate para animar um dia recheado de trabalho. Este parece seda na boca e o slogan da Milka tem todo o sentido: "Faz-se nas montanhas, derrete-se na boca." Delicioso!

quarta-feira, novembro 07, 2007

2em1



Há uma semana, fiz a minha primeira compra pela internet. Eu que sempre moí a cabeça a quem o fazia, eu que pedia cuidado, eu que temia pôr qualquer indicação na net com medo de que fosse clonada... Fiz a minha compra e hoje posso dizer que estou satisfeita (além de que não tive de pôr dados bancários nenhuns!). Ainda não recebi os produtos, mas, pelo menos, a FNAC já me deu todas as garantias de que a minha encomenda foi tratada. E que encomendei? Livros, claro. A oferta exclusiva da FNAC, dada a conhecer pela Canochinha, não podia ser mais atraente. Dois livros da Jodi Picoult: Dezanove Minutos e O Décimo Círculo, a apenas 14,50€. Já andava há tanto tempo para comprar um livro dela (Tudo por Amor) que, desta vez, não consegui resistir.

Segui os passos que o site da FNAC me ia dizendo, mais a Canochinha, e fui recebendo as contra-indicações necessárias por e-mail: a aguardar pagamento, pago, encomenda expedida. Pensei que seria mais díficil do que foi, mas, tendo em conta que sou eu quem sou, foi um grande passo em frente. É estranho este meu cepticismo quanto às compras pela Internet, visto que sou uma apaixonada pelas novas tecnologias e defensora de tudo aquilo que têm para oferecer. Talvez esteja influenciada por maus exemplos presentes na comunicação social, talvez seja apenas mariquinhas... O que realmente interessa é que já cá cantam mais dois livros para a nossa biblioteca, amor!

terça-feira, novembro 06, 2007

BDD, obrigada!

O Palhinhas recebeu das mãos do Sol e da Lua, autores do espaço Linhas de Pensamento, o prémio "Blog do Dia". Obrigada!

Por que é que este blog existe?
Decidimos criar este espaço para termos um sítio onde sobretudo eu pudesse escrever, dado que não encontrava trabalho na área jornalística e não queria perder o gosto pela escrita. Com o tempo, os horizontes do blog alargaram-se. Começámos a usá-lo para partilhar algumas das nossas experiências, para debater o mundo que nos rodeia e até mesmo para rir diante do panorama nacional e internacional cada vez mais negro.

sexta-feira, novembro 02, 2007

A brilhar que nem ouro

Feriados, fins-de-semana grandes, são sempre bons para pormos as coisas em ordem e fazermos uma limpeza à casa. Deixa-me dar-te uma mãozinha...

Não sei explicar porquê, mas sempre tive um fascínio por algumas figuras da Rússia, sobretudo a dinastia Romanov. Estudei-a na escola, mas, nessa época, não me despertou interesse nenhum. As coisas mudaram há alguns anos, creio que depois de ter lido a biografia de Rasputine. Desde então, já li algumas obras dedicadas aos Romanov e continuo com outras na minha lista de livros a comprar. Aquelas intrigas familiares, as relações com a Europa, a exuberância do País e das modas, tudo me suscita interesse e me instiga a descobrir mais e mais. Por isso, é natural que queira ir à exposição 'Arte e Cultura do Império Russo nas Colecções do Hermitage'. Os meus pais puderam vê-la na Rússia, mas eu terei de ir ao Palácio da Ajuda, até 17 de Fevereiro, para me poder encantar com algumas das peças que marcaram a história da Rússia e a tornaram grande como é hoje. Por enquanto, estou a ver quem é que dos meus irmãos, cunhada, namorado e amigos pretende ir. Acho que é uma oportunidade única que não se deve desperdiçar. O Ministério da Cultura teve a gentileza (uma vez na vida...) de pôr preços acessíveis: 6€. Ai, ai, eu vou a esta exposição, tenho de ir! Os meus olhinhos já brilham de entusiasmo... :o)


PS - O título significa A cultura Russa veio a Lisboa.

segunda-feira, outubro 29, 2007

Mentes sem inocência

Hoje de manhã, acordei com a notícia da morte de um senhor de 42 anos, em Borralheira de Orjais, Covilhã, alegadamente às mãos de quatro jovens entre os 17 e os 22 anos. A PJ da Guarda foi rápida a agir e levou-os para interrogatório já esta manhã. O que chocou, acima de tudo, foi a forma como João Inácio, a vítima, foi encontrado: amarrado a uma viatura e ao gradeamento de um café. Mais um homicídio a entrar nas estatísticas nacionais... Enquanto não se agir, esta não é, para mim, a notícia. Notícia é a forma como os crimes se tornam cada vez mais violentos e sem motivo aparente para que aconteçam...

Hoje, a mãe de um dos detidos disse que, além destes, outras pessoas se juntaram à porta do café central, já depois deste ter encerrado. No grupo, que terá continuado a consumir bebidas alcoólicas (que novidade...), estaria a própria vítima que "terá sido depois amarrada ao gradeamento, alegadamente por brincadeira". Das duas uma: ou não sabem o que é uma brincadeira ou essa não foi claramente a intenção... Eu acho que ninguém, mesmo no seu estado mais ébrio, acharia piada a ser amarrado e abandonado assim... (lá estou eu e o meu conservadorismo, talvez precise de fazer um update às minhas brincadeiras).

Espero que a PJ continue o bom trabalho e que se descubram e punam os culpados. Não precisamos de mais sentenças como houve para o caso Gisberta (Porto) ou como houve para o guarda-nocturno de uma escola secundária da margem Sul.

No sábado, depois de alguns fins-de-semana de preguiça e falta de tempo, fui finalmente cortar o cabelo. Já estava a precisar e gosto sempre de renovar o visual (mesmo que faça quase sempre o mesmo corte...). Cheguei ao cabeleireiro à hora marcada, mas claro que ainda tive de esperar. Na altura, estavam a ser atendidas duas senhoras de idade que, enquanto cortavam o cabelo (e o armavam!!), pintavam as unhas. Não pôde deixar de ouvir as fofoquices que contavam. Só pensava para os meus botões que o cabeleireiro é um antro de más-línguas. Muitas pessoas vão para lá e aproveitam para contar e comentar a vida dos vizinhos, esquecendo-se, muitas vezes, que depois de saírem, as suas vidas podem ser também esmiuçadas. O bom desta cena toda é que demorei pouco tempo e ainda pôde dar umas valentes risadas com as ideias ultra, hiper conservadoras das senhoras que lá estavam...


PS - Pensava que o cabelo armado já tinha deixado de se usar há alguns aninhos, mas parece que a moda está de volta...

sábado, outubro 27, 2007

Hino ao Futebol - II

quinta-feira, outubro 25, 2007

O lado negro da Justiça

Confesso que não percebo nada de leis nem de termos jurídicos, mas, às vezes, penso que não sou a única... Se uma pessoa magoa outra e esta acaba por morrer, isto não é homicídio involuntário? (noticia aqui)

Acho que a nossa Justiça anda completamente doida. A mãe não teve intenção de matar, mas quem, no seu perfeito juízo, pontapeia uma criança de dois anos porque ela se sujou? Uma criança é como um cristal: fica com danos ao mais pequeno descuido. Isto não foi descuido, foi loucura mesmo. Ou terei sido a única a ouvir a Médica Legista dizer que o pontapé foi forte e que havia outras lesões no corpo da Sara?

Sempre tive a ideia de que há pessoas que não foram moldadas para ser mães. E, a cada dia que passa, essa ideia ganha mais força. As crianças são marionetas nas mãos de pessoas sem escrúpulos, maldosas e não sobrevivem para contar a história. E que se faz aos criminosos? Dá-se cama e roupa lavada... durante 4, 5, 6 anos. A anedota deste julgamento, para além da pena, foi a defesa da mãe da Sara. O advogado teve a lata de dizer que este crime só aconteceu porque a Protecção das Crianças, que tinha o caso sinalizado, não deu o apoio devido a uma família carenciada. Está tudo doido??? Será que ele já tentou investigar em quantas famílias necessitadas não há casos destes? Há pessoas que, por mais pobres que sejam, prezam os filhos e têm-lhes amor!

Revoltam-me estes casos. Não o consigo evitar. As crianças são os seres mais desprotegidos e a nossa Justiça parece não reparar nisso. Dá sentenças leves, em vez de exemplares, e, com o sistema penal que temos, quase patéticas!

Para vocês, que mudanças são precisas?

quarta-feira, outubro 24, 2007

Que dia de m...aravilha!

O meu dia começou da melhor maneira... Levantei-me mais cedo do que era suposto e vi logo que estava um dia solarengo... algures, não no Cacém. Fiquei deprimida não só porque este tempo me deixa nostálgica, mas também porque me apercebi de que tinha de ir carregada com o chapéu-de-chuva.
Depois de me vestir, fui preparar as coisas para o trabalho. Decidi mudar de mala para condizer com a minha roupa (coisas de mulher!) e tive de ser mais meticulosa: carteira, livro, lenços, passe(!!), chaves... Estava tudo. Segui para a cozinha para tomar o pequeno-almoço e, depois de ter comido, comecei logo a sentir dores de estômago... Podia estar mais contente?? Não me preocupei e saí para a estação para apanhar o comboio. É que, no Cacém, passam aqueles comboios sem paragens e é uma seca ficar à espera!
Quando cheguei a Benfica, vi que o meu autocarro estava quase a chegar e corri para a paragem. Enquanto lia o jornal, um parvalhão de um motorista da carris decidiu acelerar e salpicar as pessoas que estavam na paragem. Fiquei logo lixada, mas pensei que depois as marcas secariam. Porém, quando me sentei no autocarro, notei que as manchas já não eram manchas, mas, sim, verdadeiras nódoas. Quase mandei um berro! Sinceramente, não me podia ter acontecido pior... numas calças lavadinhas!! Eu sei que o meu trabalho é sentada, mas sou eu que recebo as pessoas que vêm cá à empresa. Vocês já pensaram no aspecto isto dá? Felizmente, tive o bom senso de ir ao wc passar um pouco de água nas calças e parece que disfarçou... Há dias em que não se devia sair de casa, não acham?

Romário assumiu uma nova função no desporto: treinador-jogador do Vasco da Gama.

"Conversei com todos os jogadores e perguntei o que achavam da ideia. Eles aceitaram. Também quem não aceitasse, seria afastado."

terça-feira, outubro 23, 2007

Um exemplo de como somos

Hoje, estava eu sentada no meu lugar quando um colega me chamou à janela (eu sei, eu sei, somos muito atarefados!). Perguntei-lhe o que queria e ele disse-me para olhar para a rua. E que vi?, perguntam vocês. Um micro-retrato da nossa sociedade.
O que se passava é que, à nossa porta, estava um grupo de oito indivíduos a alcatroarem uma pequena parcela do estacionamento (tinha sido aberto um buraco para substituir uma boca de incêndio). Até aqui, tudo normal. Antes assim do que deixar o buraco aberto... O problema é que o grupo era de oito elementos e desses um era o chefe do grupo e dava as instruções, cinco olhavam para o que estava a ser feito e comentavam e dois (desgraçados) trabalhavam efectivamente. Era a estes que competia, usando uma pá, retirar o alcatrão da caixa aberta de um camião. Acho que eles gostaram de ter público, mas, se calhar, dava-lhes mais jeito uma 'mãozinha'. A nossa sociedade funciona mal (ou devagar) porque são muitos a mandarem e poucos a trabalharem...
Passados alguns minutos, virei-me para o meu colega e disse-lhe: "Nós estamos a criticar, mas não estamos também aqui parados a ver?". Eis a prova de que eu tenho consciência...ou não.

segunda-feira, outubro 22, 2007

Uma página a seguir à outra

Não costumo dar opiniões, aqui no blog, sobre os livros que leio, mas os últimos dois que li marcaram-me. Uma Paixão, da Danielle Steel, e A Ilha, de Victoria Hislop, foram lidos numa semana cada um. Adorei a história e a escrita das autoras e, admito, fiquei completamente agarrada. Dei comigo a sofrer com(o) as personagens, a amar como elas e a sentir raiva por todos os problemas que enfrentavam. Às vezes, quando analisamos um livro, damos connosco a pensar que estas histórias não são apenas isso. Há, de facto, quem passe por situações dramáticas, quem consiga reagir aos problemas e quem, infelizmente, ceda às pressões.
Há já algum tempo que não lia livros que me prendessem tanto. Não conseguía largá-los e tinha pena sempre que o fazia. Mas o trabalho e o relógio não perdoam, infelizmente. Uma Paixão era um livro que desconhecia completamente. É uma história romântica entre um casal desconhecido que decide partilhar uma vida em comum, apesar de todos os contratempos que surjem. Depois do sofrimento, espera-os uma vida recheada de amor e premiada com um novo ser. Já A Ilha era um livro que conhecia e que queria, mas que pedi emprestado à minha cunhada (obrigada!!). Conta a história das gerações de uma família marcada pela doença, pelo sofrimento, pelo amor e pela rebeldia. Para além de tudo isto, A Ilha abarca um contexto histórico, representado por Spinalonga, simplesmente entusiasmante.

Gostam de ler e aprender? Então, deixem-se levar por estas emoções...

sábado, outubro 20, 2007

Hino ao Futebol - I

sexta-feira, outubro 19, 2007

Toca o telefone.... Tra la la

Não sei porquê, mas acho que as pessoas ainda não perceberam o verdadeiro propósito dos telemóveis. As pessoas continuam a encará-los como brinquedos e estão constantemente a mudar de equipamento para ter o último topo de gama. Pessoalmente, uso o telemóvel para mandar sms, ligar para alguém (quando é mesmo necessário) e mais nada. Não sou uma adepta das MMS, apesar de já as ter usado, nem dos jogos (alguns deles que me custaram dinheiro). Perante este cenário, posso-vos garantir que não tenho um telemóvel mega ri-fixe... Tenho um simples, pequeno e prático qb.

As situações mais engraçadas que já presenciei com telemóveis aconteceram no comboio e no supermercado. No primeiro, são aliás constantes. Já presenciei discussões em alta voz com o comboio todo cheio, pessoas a falarem com os filhos e a contarem a sua história clínica, pessoas a dizerem a outras que estão a chegar à estação (quando estão a escassos metros de distância!) ou pessoas que fazem do telemóvel uma aparelhagem de som, transformando o comboio numa disco. Este foi, na verdade, o episódio de hoje. Estava eu sentada calmamente a ler o meu livro, quando, de repente, entra um jovem com um telemóvel topo de gama, onde se podia ouvir alto e bom som a música One Love do Bob Marley. Este espectáculo era por si só inconveniente, mas o rapaz, não satisfeito, ainda se pôs a dançar num comboio cheio... Haja paciência!

Os outros casos insólitos acontecem nos supermercados, quando as pessoas ligam umas para as outras a perguntar o que é que faz falta em casa. Eu pensava que era para isso que se faziam listas de compras, mas isso devia ser na Idade da Pedra. Sou uma antiquada, eu sei, mas não me parece normal gastar saldo, e dar uma barracada, só para saber se fazem falta tomates ou evax's lá em casa... Talvez seja de mim...

quinta-feira, outubro 18, 2007

Jodie no seu melhor

Finalmente consegui ganhar um bilhete duplo para uma ante-estreia. E logo para ver o regresso da Jodie Foster às salas de cinema. "Uma estranha em Mim" está 5* e merece todas as críticas positivas que se escrevam. O filme, cuja grande parte das cenas acontece à noite, despoleta os sentimentos mais negros que cada um de nós tem dentro de si.
Após um acontecimento trágico, a vida de Erica Bain transforma-se completamente. Dentro do seu próprio corpo, nasce um novo eu, desconhecido e muito mais sombrio. Perante a ineficácia dos que devem afastar os maus dos bons, Jodie Foster lança-se numa tentativa de se vingar daqueles que a marcaram para sempre. Contra tudo e todos, começa uma nova vida cujo objectivo é impedir que surjam mais vítimas. Ao longo da trama, é inevitável sentirmos compaixão pela protagonista e simpatia pelos motivos que a movem. Mas, por outro, quem somos nós para fazermos justiça sem julgamento?
O filme, que chega hoje às salas de cinema, é um misto de emoções: romantismo, medo, frieza, justiça, amizade... No final, a pergunta que se põem é: se fosse connosco, se sofrêssemos uma perda tão trágica como a dela, como agiríamos? Confesso que, às vezes, perante a justiça que temos, acho que os meios justificam os fins... Mas quem sou eu para fazer justiça?

segunda-feira, outubro 15, 2007

Todos temos direito à defesa

Ai, há pessoas estúpidas, há... então os toureiros podem atacar os touros e os touros não se podem defender? Sinceramente, é preciso lata. E o protagonista desta patetice ainda vem dizer para os microfones que tentou "desafiar o touro, num acto de coragem". Coragem, pelo menos no meu dicionário, era se desafiasses o touro sem ter os cornos cortados, de igual para igual e se, por acaso, ele te provocasse... O resto é só uma sangria à tua mercê... Foi uma sorte não teres ficado com mazelas, mas que as merecias, merecias. Talvez uns espetos nesse rabo... corajoso!

sexta-feira, outubro 12, 2007

Já nos falta espaço para tantas medalhas

O Palhinhas não ficou pelo prémio da Mary e, na última semana, foi agraciado com mais três prémios dados pelo Mais Astuto. Mais uma vez, obrigado... Não sei se merecemos tantas honras. Passamos a bola aos seguintes bloguistas: Bia, Sol & Lua, Formiguinha, Doce Aroma e Beicinho.







Na onda dos prémios Nobel, eis o mais recentes prémio que o Palhinhas carinhosamente recebeu e o qual agradece gratamente:

"O prémio foi criado pelo Mike do Ordinary Folk. Este prémio é uma tentativa de reunir os blogs que são adeptos aos relacionamentos “inter-blogs” fazendo um esforço para ser parte de uma conversação e não apenas de um monólogo. Antes das regras, vale aqui uma definição de SCHMOOZE, vocês não vão encontrar facilmente o termo em algum dicionário convencional.

Regras: 1. Se, e somente SE, você receber o Thinking Blogger Award ou The Power of Schmooze Award, escreva um post indicando 5 (cinco) blogs que tem esse perfil schmoozed ou que tenha te “acolhido” nesta filosofia;
2. Acrescente um link para o post que te indicou e um para o post do Mike, para que as pessoas possam identificar a origem deste nome;

3. Opcional: Exiba orgulhosamente o Thinking Blogger Award ou o The Power of Schmooze Award com um link para este post que você escreveu."

Depois da nomeação da Mary, aqui ficam os meus laureados:

Quem disse que era fácil
Espaço Rosa
Entre o Céu e a Terra
Toto da Cabeça
Linhas de Pensamento

quinta-feira, outubro 11, 2007

Números e letras

Uma mensagem a reter exercitando o nosso cérebro. Vale a pena:

3M D14 D3 V3R40, 3574V4 N4 PR414, 0853RV4ND0 DU45 CR14NC45 8R1NC4ND0 N4 4R314. 3L45 7R484LH4V4M MU170 C0N57RU1ND0 UM C4573L0 D3 4R314, C0M 70RR35, P4554R3L45 3 P4554G3NS 1N73RN45. QU4ND0 3575V4M QU453 4C484ND0, V310 UM4 0ND4 3 D357RU1U 7UD0, R3DU21ND0 0 C4573L0 4 UM M0N73 D3 4R314 3 35PUM4.

4CH31 QU3, D3P015 D3 74N70 35F0RC0 3 CU1D4D0, 45 CR14NC45 C41R14M N0 CH0R0, C0RR3R4M P3L4 PR414, FUG1ND0 D4 4GU4, R1ND0 D3 M405 D4D45 3 C0M3C4R4M 4 C0N57RU1R 0U7R0 C4573L0. C0MPR33ND1 QU3 H4V14 4PR3ND1D0 UM4 GR4ND3 L1C40; G4574M05 MU170 73MP0 D4 N0554 V1D4 C0N57RU1ND0 4LGUM4 C0154 3 M415 C3D0 0U M415 74RD3, UM4 0ND4 P0D3R4 V1R 3 D357RU1R 7UD0 0 QU3 L3V4M05 74N70 73MP0 P4R4 C0N57RU1R. M45 QU4ND0 1550 4C0N73C3R 50M3N73 4QU3L3 QU3 73M 45 M405 D3 4LGU3M P4R4 53GUR4R, 53R4 C4P42 D3 50RR1R! S0 0 QU3 P3RM4N3C3 3 4 4M124D3, 0 4M0R 3 C4R1NH0.

0 R3570 3 F3170 D3 4R314 !


PS - Quem tiver problemas de visão no final, queixe-se à minha cunhada que ela é que me enviou isto por mail. :o)

Estou há alguns dias para escrever este meu texto de revolta. E estou revoltada com o quê? Com a moda, ou melhor, aquilo a que chamam moda... Antes de mais, confesso que não tenho muita paciência para passear por lojas. Normalmente, vou directa àquilo de que gosto, pago e saio - quase nem se dá pela minha presença! Porém, as lojas (e os criadores em particular) têm dificultado a minha tarefa. Hoje, as montras apresentam modelos esquisitos que ou nos fazem parecer gordas ou demasiado magras, combinam cores esquisitas e há uma mistura de roupa fina com roupa casual. E onde é que ficam as pessoas que não apreciam esta 'moda'? Parece que somos esquecidos e torna-se cada vez mais complicado encontrar alguma coisa que nos faça dizer: "Isto é mesmo a minha cara!".

Na terça, fui ao Colombo, vagueei por um conjunto de lojas de roupa e acessórios (por enquanto sem muita atenção) e, com a mesma rapidez que entrei, saí. Não vi nada que me fizesse parar, nada que me motivasse sequer a lá voltar. Preciso de remodelar o meu guarda-roupa, mas com o quê? Não vejo nada de jeito e, confesso-vos, não sou esquisita, sou simples... Gosto de roupa normal, colorida qb, prática e que não chame muita a atenção. Será que alguém me sabe dizer onde é que esta (minha) moda está? :o)

segunda-feira, outubro 08, 2007

Tantas vezes quanto as possíveis

Há coisas que não se explicam... Uma delas é por que razão, de cada vez que está a dar Robin Hood - O Príncipe dos Ladrões, eu me sento no sofá. Já vi o filme n vezes, sei as cenas de cor, mas ajo como se desconhecesse tudo. Parece que cada cena é nova, que o filme terá um desenrolar diferente... É um dos meus filmes preferidos, claramente. Gosto da história em si, gosto do contexto histórico, gosto do romantismo e aprecio o actor. Tudo joga a favor do filme. Na sexta-feira, a RTP voltou a passá-lo na sessão da tarde. A minha irmã, que arrumava a cozinha, foi para a sala; o meu irmão, que fazia um trabalho clínico, fez um intervalo e eu, que estava no computador sossegada, passei rapidamente para a sala. Há filmes intemporais... ai há, há!

Vocês têm algum?

sábado, outubro 06, 2007

De melhor do mundo para melhor do mundo...

quinta-feira, outubro 04, 2007

Sem darmos conta...

Há 2 anos e 6 meses a sorrir... Quero mais!


A isto acrescento:
Um cooler para o meu portátil que, simplesmente, adorei!! (Obrigado, amor!)
Um blusão meia-estação da minha cor preferida - verde - num estilo misto jovial e senhoril (o bom gosto da minha irmã e do namorado a mostrarem serviço);
Umas botas pretas (finalmente encontrei umas de jeito![graças à paciência dos meus pais])
Um livro da Danielle Steel, Paixão


Tudo isto depois de um jantar com comida fantástica e, acima de tudo, partilhado com as pessoas que mais amo. O que posso pedir mais?


PS - A triologia d'As Memórias de Cleópatra foi oferta do meu mano e da minha cunhada (vocês estão lá!)

terça-feira, outubro 02, 2007

Mais um...

... que começa a fazer peso!

segunda-feira, outubro 01, 2007

Britcom

Parece que, daqui a algum tempo, vou começar mais uma etapa da minha vida. Decidi arriscar-me na tarefa de explicadora. A disciplina escolhida foi sempre a minha preferida: Inglês. Espero que consiga dar conta do recado e que, sobretudo, o explicando não saia prejudicado. O meu amor, os meus pais e a minha irmã têm-me dado todo o apoio necessário, mas, talvez por ser a primeira experiência, sinto-me nervosa. Vou voltar à escolinha, vou sentir o formigueinho nos dedos, vou sentir que não sei nada... Quando andei à procura de trabalho, tentei centros de explicações para me candidatar a explicadora de inglês e português, mas não surgiu nada. Agora, sim. Vamos ver como corre a experiência para explicadora e explicando. Let the games begin!

sexta-feira, setembro 28, 2007

Atendimento ao cliente

Tenho deixado este espaço entregue e bem entregue ao meu amor. Ela tem cuidado na perfeição deste nosso cantinho com toda a sua dedicação. Quero aqui pedir-lhe desculpas pela ausência e dizer, desde já, que vou tentar ser mais participativo no nosso blog, pelo menos quando voltar a ter Internet em casa porque, desde terça-feira à noite, que não tenho tal coisa.

Devido ao problema, tentei ligar na quarta-feira para a Netcabo, esperei durante 10 minutos e nada. Apenas duas gravações: uma delas a dizer que podia aceder, em minha casa, à factura virtual assim como a outras opções. Para tal, bastava ir ao site deles. Fiquei a pensar: se eu ligo para o apoio técnico da Netcabo, deve ser porque não tenho net e ele dizem-me para ir ver um site… Só podem estar a gozar comigo. A outra gravação dizia: “Ainda não foi possível atender a sua chamada.” Obrigadinha pela preciosa informação, nem tinha notado que ainda me estavam a dar música, literalmente.

Sem sucesso, desliguei o telefone, fui ver o Benfica e não fiz mais nenhuma tentativa nesse dia. Ontem, voltei a tentar e, após 25 minutos à espera, verifiquei que, afinal, alguém trabalha na Netcabo e atenderam-me. Depois de 45 minutos a ligar e a desligar o modem e o router, disseram que iam analisar a situação. Mas o que é que estive a fazer durante 45 minutos? O trabalho deles? Pago para lhes fazer o trabalho?

Disseram-me que iam analisar o caso (que ia ser breve!!) e que, dentro de 2 horas, me ligavam a dizer qualquer coisa. Isto foi às 20:30 de quinta-feira. Até ao momento, ainda não me ligaram e aposto que, se não ligar, bem posso esperar não duas horas que já lá vão, mas dois dias – se olhar de um ponto de vista positivo – ou então duas semanas. E pagamos nós estes serviços da tanga, seja Netcabo ou qualquer outra empresa.

quinta-feira, setembro 27, 2007

Assim não dá

A notícia do dia é sobre Santana Lopes. O advogado decidiu abandonar uma entrevista na SICNoticias, depois de a jornalista ter interrompido a emissão, durante pouco mais de um minuto, para ir, em directo, ver a chegada de Mourinho a Portugal.
O ex-primeiro-ministro tinha sido convidado para falar sobre as directas no PSD e não gostou da atitude da SIC. Não gostou e fê-lo saber: ""Eu vim aqui com sacrifício pessoal, e sou interrompido por um treinador de futebol. Acho que o país está doido. Não vou continuar a entrevista. Acho que o país tem que aprender." Numa reacção a esta atitude, Ricardo Costa, director de informação do canal, afirmou que a decisão é "natural num ciclo informativo de um canal de 24 horas" e que Santana Lopes fez "um número um bocadinho espectacular". (aqui)

Pessoalmente, não gosto do Santana Lopes, mas acho que tomou a atitude certa. As directas do PSD não são super importantes, mas terão, efectivamente, consequências políticas no futuro do país. Afinal, em que é que estamos mais interessados: em fazer Portugal avançar e alcançar outros níveis políticos, sociais e económicos ou ficar eternamente agarrados ao futebol e à vinhaça? Eu prefiro aliar-me ao progresso...e vocês?

terça-feira, setembro 25, 2007

Ele ou ela?



É impressão minha ou este é o machão que, há uns dois anos, surgiu no programa da SIC a contar as anedotas mais brejeiras da nossa televisão? Agora, sempre que vê um rabo de saia fica todo alterado, antes queria usar a saia... Como as coisas mudam!

Green

You are:
1) Balanced, Relaxed, Flexible.
2) Compassionate, Philosophical, Humble.
3) Loyal, Inventive, Unique.

Personality Test Results

Click Here to Take This Quiz

quiz

... uma melancia! Quem me conhece, sabe-o perfeitamente. Bate tudo certinho no carácter.

segunda-feira, setembro 24, 2007

Desculpas esfarrapadas

Não falei aqui neste blog da agressão do Scolari porque, pessoalmente, não sou apologista da Selecção. Reconheço que o homem até tem feito algum trabalho: revolucionou a mentalidade do jogador português, teve bons resultados e rompeu com alguns lobbies. Porém, com o passar do tempo, também tem cometido erros e parece que quer seguir pelo mesmo caminho que outros seleccionadores. Espero que aprenda a lição com esta suspensão da UEFA. Por enquanto, oiçam só esta pérola:


sexta-feira, setembro 21, 2007

Gentilezas & Indelicadezas

Há coisas que, por mais que tente, não consigo compreender. Ontem, saí apressada do meu trabalho para tentar apanhar o autocarro das 19:15 para Benfica. Cheguei cansada, mas consegui. Entrei, procurei um lugarzinho sossegado e lá segui viagem. Como sempre, fui a olhar para a janela para ver o que se passava. De repente, depois de termos passado uma paragem, uma rapariga vestida toda bonitinha, e junto a um grupo de rapazes, pede para o autocarro parar. O motorista nem hesitou... deve ter ficado encadeado com as suas formas. Sinceramente, até acho que foi uma bela atitude do motorista, mas gostava era de saber se a aplicava a todos os utilizadores do serviço. Quando eu me atraso, só reclamam... o motorista e os outros! Além disso, a rapariga estava na pândega com os seus amigos e eu tenho de ver o meu horário alterado (sujeitando-me a perder o comboio) por causa disso? Enfim... Já hoje, ia eu sentada nos lugares da frente, quando passamos uma paragem ali na Buraca. Várias pessoas levantam o dedo, solicitando o transporte, mas, para meu espanto, o autocarro não pára. Depois, na maior das calmas, o motorista vira-se para mim e diz: "Que apanhem o próximo!"... Pagamos nós o passe para estes tipos fazerem o que querem, quando querem... e o nosso autocarro nem vinha cheio. Lá está, cada vez me convenço mais que os taxistas e os condutores da carris são uma espécie estúpida e abominável.

Já vi de tudo no comboio, acho. Pessoas que cortam as unhas, pessoas que põem os pés em cima dos assentos, pessoas que fumam charros, pessoas que se maquilham, pessoas que põem sacos em assentos para guardar lugares... Hoje, vi uma que se vinha a pentear e, não, não era com as mãos. Eu sei que o comboio é público, mas todas estas coisas que referi interferem com a liberdade dos outros. Uma solução para evitar algumas destas cenas desagradáveis é acordarem mais cedo. Eu sei que custa, mas é para o vosso bem (deixam de passar vergonhas) e para o nosso (deixamos de ser presenteadas com maluqueiras). Será que conhecem o conceito de civilidade?

quinta-feira, setembro 20, 2007

Ele... e nós!




quarta-feira, setembro 19, 2007

Marcas da História

A partir de hoje, o Panteão Nacional recebe mais uma figura ilustre da História Nacional. Aquilino Ribeiro viu-lhe ser concedida a honra de partilhar a sala com Humberto Delgado, 44 anos depois da sua morte, em 1963. Mais uma vez, e à semelhança do que aconteceu com Amália Rodrigues, a cerimónia de transladação fica marcada por alguns protestos, reclamando a associação do romancista com o regicídio de D. Carlos.

Aquilino Ribeiro é o décimo português a ser sepultado no Panteão, seguindo-se a personalidades, como Almeida Garret, João de Deus, Manuel de Arriaga, Teófilo Braga, Guerra Junqueiro, Óscar Carmona, Sidónio Pais, Humberto Delgado e Amália Rodrigues. Para além disso, o Panteão Nacional abriga também os cenotáfios (monumento fúnebre de homenagem a uma personalidade cujo corpo está ausente) de Nuno Álvares Pereira, Infante D. Henrique, Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral, Afonso de Albuquerque e Luís de Camões.

Afinal, para vocês, nos dias de hoje, o que justifica tamanha honra? E quem, na actualidade, a deveria receber?


Há coisas que são universais - esta é uma delas. E há 25 anos que faz o Mundo sorrir. Há coisa mais bela do que essa sensação de felicidade?

segunda-feira, setembro 17, 2007

Ovelhas na pele de Lobos

No desporto, como em tantas outras coisas na vida, há sempre aquelas modalidades que não nos suscitam interesse. No meu caso, o rubgy era uma delas, talvez por não conhecer as regras, talvez por achar uma modalidade abrutalhada. Porém, com a participação de Portugal no Mundial de França, esse desinteresse vai-se desvanecendo. É impossível ficar indiferente aos 'Lobos'. Temos conquistado tanto com tão pouco. Se conseguissemos equilibrar a balança da qualidade/talento com a força de vontade/emoção, podíamos sonhar mais alto. Por enquanto, ficamo-nos com a bravura e a vontade de uma equipa totalmente amadora e, se querem que vos diga, não somos menos campeões por isso!

Já tinha visto o primeiro jogo dos portugueses e gostei do que vi. Para além de ter visto um bom desempenho luso, ainda consegui aprender algumas regras da modalidade. No sábado passado, estava toda entusiasmada para ver o jogo contra a Nova Zelândia e os 'Lobos' não desiludiram. Eu torcia no sofá como se se tratasse de um jogo do Benfica. E depois aquele momento... Os nossos três primeiros pontos marcados à melhor selecção do Mundo e todo o estádio a aplaudir. Eu, em Lisboa, emocionei-me, imagino os jogadores. No final, aquela saída cheia de fair-play (porque ainda há quem o tenha) com os portugueses a fazerem um corredor de aplausos para os neo-zelandeses e eles a fazerem-no para nós. Saímos como campeões e somos campeões! Tomara que alguns atletas nacionais ponham os olhos neles...


PS - Havia jogadores que, para participarem nos treinos, faziam diariamente a viagem Coimbra-Lisboa, depois de um dia de trabalho. Se isto não é dedicação, não sei o que é...

quinta-feira, setembro 06, 2007

Estranho mundo, o nosso.

Não consigo compreender o Mundo em que vivemos. Não sei como é que algumas pessoas tem estômago para cometer crimes tão vis como os que se têm visto ultimamente. As crianças, como sabemos, têm sido um alvo fácil, mas, ao que parece, agora, com o novo Código Penal, vão estar mais protegidas. Porém, não há protecção que valha quando o perigo está dentro de portas. Na sua ingenuidade, elas não se apercebem de nada e, quando outros dão conta, muitas das crianças já não estão cá para contar a sua história. Pessoalmente, sou a favor da pena de morte, sobretudo nestes casos... Como é que alguém é capaz de tocar - com um dedo que seja - numa criança? Seres tão indefesos, tão inocentes, tão ingénuos, seres que a tudo agradecem com um sorriso sincero. Não sou mãe ainda, mas, quando o for, serei galinha, sim, porque o Mundo, hoje em dia, assim o exige.

A história da Joana, ou parte dela, é agora publicada num livro lançado hoje, mas quantas histórias ficarão por contar? Passados quatro meses sobre o desaparecimento de Maddie, a PJ continua ainda com muitas pontas soltas. E, ao que parece, há ainda muito caminho a percorrer. É triste ver que muitos dos crimes contra crianças são cometidos por familiares. Usam a sua confiança, o seu poder familiar para impor um silêncio que provoca graves danos psicológicos nos seus alvos. Ninguém merece ser tratado assim... E a punição não pode ser leve! Quem não se recorda do cabo António Costa? Bem sei que as vitimas não eram crianças - tinham 18/19anos -, mas ele matou-as sem piedade e, por três mortes cruéis, apanhou 25 anos, podendo ser solto dentro de cinco...

É um facto que existem muitos crimes contra crianças, mas, no outro dia, li sobre um caso que me chocou. Uma rapariga luso-descendente acusou, em 2001, o seu próprio pai(!!) de a ter violado, só para chamar a atenção de uma amiga. O pai foi condenado a 12 anos de prisão e, em 2006, a rapariga lançou um livro a contar todas as mentiras que disse. Hoje, dedica grande parte da sua vida a limpar a imagem do pai, tentando ser chamada para fazer novas análises ou ser ouvida por um juiz. Por que é que não pensou nisto antes? Ninguém saberá dizer, provavelmente...

terça-feira, setembro 04, 2007

A um passo de...

You Belong in Dublin

Friendly and down to earth, you want to enjoy Europe without snobbery or pretensions.

You're the perfect person to go wild on a pub crawl... or enjoy a quiet bike ride through the old part of town.

Quando acordo, penso em ti. Quando discutimos, quero logo fazer as pazes. Quando te afastas de mim, fico sem ar. Quando não te ris, sinto-me triste. Quando conversamos, entedemo-nos às mil maravilhas. Quando passeamos, sou a pessoa mais orgulhosa do meu companheiro. Quando estou em baixo, vou à procura do teu ombro. Quando te sinto calado, sei que precisas de desabafar, mas não queres. Quando bates na manete das mudanças (não sei se é esse o nome!) do carro, sei que te esqueceste de alguma coisa. Podes fugir o que quiseres, mas eu conheço-te e acho-te perfeito. 2 anos e 5 meses!

segunda-feira, setembro 03, 2007

Milhões a mais... cabeça a menos

Ontem, à hora de almoço, as noticias deram a conhecer mais uma excentricidade de Ronaldo. Parece que o puto-maravilha precisa de pagar para ter prazer... O miúdo parece não ter aprendido nenhuma lição com o susto de há 2 anos, quando, de repente, foi acusado de violação por uma jovem. Nada foi provado e Ronaldo saiu incólume. Agora, as coisas parecem seguir um rumo diferente. Acompanhado de Nani e Andersson, o jogador do Man. United divertiu-se à grande e à francesa. Alguém me explica onde é que este tipo estava quando a inteligência foi distribuída?

sexta-feira, agosto 31, 2007

Uma década 'viva'



Completam-se hoje 10 anos após da morte da Princesa Diana. Ainda me recordo de quando o meu pai contou a noticia lá em casa, estávamos nós no Algarve. A trágica morte surpreendeu e chocou o Mundo, mas é tempo de seguir em frente. Já todos sabemos a adoração que os britânicos lhe têm, mas nós, cidadãos do Mundo, não precisamos de levar com constantes noticias, documentários ou investigações sobre a princesa Diana. Eu, pessoalmente, já estou saturada de tudo isto e chego a perguntar-me se ela terá mesmo morrido. A agenda dos media repete-se anualmente, com especial incidência nos dias do seu aniversário e do trágico acidente. O tempo parece não ter acalmado a (eterna) discussão sobre a sua morte: acidente ou atentado? Será que não se percebeu já que, o que quer que tenha sido, nunca se irá descobrir e isso não a trará de volta? A única coisa certa é que, para o ano, há mais do mesmo...

Acho que já vi as coisas mais estranhas na nossa cidade... Ontem, ia eu no autocarro, a caminho da estação de Benfica, quando, de repente, nuns prédios junto ao edifício do Círculo de Leitores, vejo um grupo de ciganos. Até aqui nada de especial... Porém, o grupo de ciganos não era um simples grupo, ou melhor, não estava simplesmente reunido para a converseta (tão típica no final de um dia de trabalho). Quando olhei melhor, reparei no insólito: o grupo tinha puxado (de dentro do prédio, presumo) uma mesa e umas quantas cadeiras, onde petiscavam prazeirosamente. Ali estavam eles, no meio da cidade, como se nada fosse, indiferentes aos olhares e às opiniões de quem passava. Tivéssemos todos este à-vontade... Estranhei o comportamento, mas, pelo menos, eles estavam-se a divertir a valer.

quinta-feira, agosto 30, 2007

Na rota dos milhões

Estamos na Liga dos Campeões! Parabéns ao Benfica e à equipa que foi enorme. Sugiro que leiam este texto da Leonor Pinhão... Não é a minha colunista preferida, mas dá uma perspectiva da realidade em que está mergulhado o futebol nacional.

quarta-feira, agosto 29, 2007

Uma tailandesa no Cacém

O meu irmão e a minha cunhada regressaram, ontem, da Tailândia depois de alguns dias de férias. Estavam com uma cara de cansados, mas mantinham o seu bom humor. Fizeram questão de ir lá a casa para nos dar um beijo, antes de mais uns dias afastados de nós, e aproveitaram e levaram as prendinhas que nos tinham comprado. Antes de mais, muito obrigado! Sinceramente, adorei as minhas prendas: uma sombrinha artesanal tailandesa e chocolates :) Não foram originais? São os maiores! E, claro, gostei também da prenda do Hugo, embora não vá ser para mim...


PS - Espero que a imagem vos ajude a perceber do que falo quando me refiro a sombrinha. Assim que recebi, sabem de que filme me lembrei? 'As Memórias de uma Gueixa', simplesmente genial!

terça-feira, agosto 28, 2007

Sem saída possível

Li, hoje, num livro que todos nascemos com uma doença terminal: a morte. Nunca pensei nas coisas assim, mas a verdade, e todos o sabemos, é que não há nada mais incontornável. Acho que devemos viver a vida como se cada momento fosse o último porque nunca sabemos o que virá... A morte é despegada de todos e quaisquer preconceitos. Não olha a idades, não olha a estratos sociais, não olha a locais, não olha a sexos. Simplesmente acontece, deixando um rasto de tristeza e consternação à sua volta. Esse sentimento de impotência, hoje, em particular, atingiu o mundo do futebol. O jogador do Sevilha FC, António Puerta, de 22 anos, não resistiu às sucessivas paragens cardio-respiratórias ocorridas no sábado e faleceu. Estava na flor da idade, praticava futebol de alta competição e ninguém reparou em nada... Que descanse em paz!


PS - O video dos acontecimentos está aqui (as imagens são impressionantes, pensem bem se as querem visionar).

segunda-feira, agosto 27, 2007

Mais um campeão!


Hoje, é dia de festa. Pela primeira vez na nossa História, Portugal conseguiu uma medalha de ouro no triplo salto. Nélson Évora, atleta do Benfica, sagrou-se campeão do Mundo. Parabéns!!

Ontem, fui passear a Sintra. Acho que não há sítio mais paradísiaco e romântico que aquela vila. Apesar do trânsito que apanhámos, das dificuldades que enfrentámos para chegar ao centro da vila, valeu a pena. Com o calorzinho que estava, vermo-nos rodeados por aquela paisagem povoada por tanto verde e sítios tão lindos, como o Castelo dos Mouros, o Palácio da Vila ou o Palácio da Pena, é simplesmente divinal. Como sempre, a vila tinha um movimento estonteante sem ser exagerado e onde podíamos andar à vontade. Claro que, durante o passeio, não dispensámos os famosos travesseiros e as queijadas (nham! nham!), embora continue a preferir os pastéis de Belém. Sintra está sempre linda!

sexta-feira, agosto 24, 2007

Mais no mesmo

Esta semana escrevi aqui um post sobre como a vida está dura. Pretendia sobretudo realçar como muitos licenciados continuam ainda à procura de emprego, mesmo que não seja na área. E, de repente, eis que o Primeiro-Ministro tem esta ideia magnífica. Bem sei que há mentes brilhantes menos endinheiradas e que todos devemos ter uma oportunidade, mas como é que depois o mercado de trabalho consegue escoar os licenciados que, anualmente, saem das faculdades? Era suposto o Governo tentar resolver o problema do desemprego e não agravá-lo (o único propósito desta acção parece ser o de garantir votos eleitorais...).

Novo desafio da Mary, autora do Calapitcha. Eis as minhas respostas:

O que estavas a fazer há dez anos atrás?
Xiii... Isso é muito tempo. Estava a estudar, provavelemente estava no 8ºano no Colégio Vasco da Gama. Bons tempos esses. As preocupações eram quase nenhumas.

O que estavas a fazer o ano passado?
Estava exactamente onde estou. LOL estava a trabalhar na 123 Multimedia e, tal como este ano, via as férias em Agosto por um canudo.

5 snacks de que eu gosto:
azeitonas;
cheetos;
batatas fritas;
chocolates (vício que ando a tentar largar...);
cajú;

5 músicas cujas letras conheço de cor:
Ser Benfiquista;
Hino de Portugal;
Foi feitiço;
Slogan da Coca-cola (LoL);
Excertos de músicas sobre o Benfica;

5 coisas que faria se fosse milionária:
Comprava um terreno para construir um condomínio de moradias para mim e para os meus irmãos;
Dava aos meus pais o que eles quisessem;
Ia passar um ano, pelo menos, a viajar pelo mundo com o meu amor;
Comprava todos os livros que quero (e que não quero... lol);
Investia;

5 coisas que gosto de fazer:
ler;
ir ao futebol;
combinar jantaradas com amigos;
estar (eternamente) no duche;
passear;

5 coisas que nunca voltaria a vestir:
roupas com lantejoulas;
calças justas;
bikini verde alface (era quase transparente);
calças cor-de-rosa;
saias compridas;
coletes;

5 brinquedos de que eu gosto:
portátil;
televisão;
máquina fotográfica digital;
telemóvel;
o meu peluche grande em cima da cama (prenda surpresa do meu amor).


quinta-feira, agosto 23, 2007

Não percebo...

Alguém me explica como é que este jornal ainda se aguenta?




Pensava que o 'Ídolos' tinha ensinado qualquer coisa aos portugueses, mas estava enganada... Muitos continuam a não ter vergonha e sujeitam-se a figuras, no mínimo, ridículas. Têm a benesse de não se apresentarem diante de um júri tão impiedoso. No 'Família Superstar', o novo programa da SIC, Clara de Sousa, Tozé Brito e os Anjos (Nélson e Sérgio Rosado) acolhem aqueles que desejam alcançar a ribalta, cantando. Todos podemos cantar no duche, agora diante de uma multidão só mesmo os dotados... Se estivesse com os candidatos, gostava de lhes pedir que evitassem situações embaraçosas, mas assim como é que eu me ria?

quarta-feira, agosto 22, 2007

Notícia = novidade... ok?

Não sei se é de mim, mas já estou um pouco saturada de ouvir falar da Maddie. Não quero com isto dizer que deixei de me preocupar, mas o que é de mais também chateia. Diariamente, os nossos meios de comunicação apostam em notícias que não acrescentam nada àquilo que já sabemos. A menina desapareceu a 3 de Maio, os pais continuam à procura dela e a promover iniciativas para que isso aconteça, há sangue a ser analisado em Inglaterra. Todos já sabemos isso! O que queremos é coisas novas que, de facto, ajudem as autoridades e que, sobretudo, tragam à tona (toda) a verdade sobre este caso. Não consigo explicar, mas todo este folclore mediático parece-me encenado e está tudo muito bem encaminhado para que os pais - que deixaram duas crianças de dois anos e uma de três sozinhas no quarto - saiam impunes desta irresponsabilidade. Queremos melhor informação e mais variedade temática. Será pedir muito aos meios de comunicação social?


PS - Sugiro que leiam este texto retirado deste blog.